Economia
1 ano atrás

Como declarar o Imposto de renda 2018, atenção ao calendário

Como declarar o Imposto de renda 2018, atenção ao calendário

Como é de conhecimento de todo brasileiro, pagar impostos é uma obrigação, ainda que haja inconformismo com a contrapartida. Normalmente é no início de cada ano que o bolso do brasileiro fica mais comprometido em razão dessas obrigações.

O Imposto de Renda é um desses exemplos e não tem escapatória. Por isso a declaração deve ser feita no prazo para não ter problemas com o Leão. É um dos principais impostos que precisam ser programados, e logo quando o ano se inicia.

O Imposto de Renda nada mais é que um tributo, também existente em muitos países, que tem por finalidade fazer o contribuinte seja de forma pessoal ou quando possui empresa, devolver ao governo um percentual do que ganhou no espaço de 12 meses.

O Imposto de Renda e sua história

Foi em 1843 que ocorreu a primeira tentativa de implantação do imposto de renda no Brasil que não prosperou em razão de não haver contribuintes suficientes e pouca estrutura financeira que possibilitasse o sucesso da implantação do imposto.

Várias tentativas de implantação foram tentadas, entre 1864 e 1870, principalmente apontando para o financiamento da Guerra do Paraguai. Nenhuma delas conseguiu ser emplacada por conta dos mínimos contribuintes que apoiavam a iniciativa serem desfavoráveis ao apoio à guerra.

Foi em 1922, que i imposto conseguiu ser implantado porque tinha como base a proposta de financiamento das áreas de saúde, educação e desenvolvimento urbano. Mesmo com algumas dúvidas na verdadeira utilização dos recursos advindos dessa cobrança e aplicados nessas áreas, a idéia foi para frente e ganhou estabilidade com o passar dos anos.

Administrado pela a Receita Federal, o tributo tem detalhes e dados específicos que não podem ser levados de qualquer jeito. Ao contrário. Devem ter um especialista como fonte de tira-dúvidas. Hoje as facilidades com a internet encurtam muito o caminho, mas algumas questões precisam ser esclarecidas por quem entenda do assunto.

Bastante cômodo, no caso de Pessoa física, a declaração e disponibilização pode ser feita de forma presencial nas instalações da Receita de seu Estado e/ou cidade ou pela internet.

A base de cálculo do tributo a riqueza ou ganho produzido pelo contribuinte, seja pelo trabalho, capital, ou ambos, considerados rendimentos tributáveis, sobre a qual é aplicado um porcentual, mais conhecido por alíquota, que obedece uma tabela oficial formatada pelo organismo fiscalizador do País.

A Receita Federal estabelece um prazo afixado em 58 dias para que as pessoas declarem seus dados ao órgão que também estipula dias limite para i receber os envios, normalmente entre os dias 2 de março e 28 de abril.

Bem por isso é prudente que o contribuinte se antecipe ao máximo na preparação de suas informações, evitando assim uma fiscalização rígida, chamada de malha fina, que pode trazer desgastes.

Com as facilidades disponíveis na internet, o cidadão tem condições de consultar a maioria dos recursos disponíveis, permitindo economizar tempo e dinheiro, se considerar que não precisará se deslocar até um posto de atendimento.

O extrato IRPF 2018 fica à disposição do contribuinte conforme cronograma de pagamento da Receita Federal que cumpre rigorosamente os prazos determinados, possibilitando assim uma transação correta.

Regras para consultar o Extrato do IRPF 2018

Se observadas as regras impostas pelo governo, ficará fácil fazer a consulta do extrato do IRPF 2018.

Para quem possui o certificado digital , é possível acessar pela internet o site oficial da Receita Federal e buscar todas as informações disponíveis. Seja como for, é preciso preencher as informações solicitadas e assim adquirir o código de acesso para ter certificado digital que irá permitir consultar o extrato IRPF 2018.

Apesar de todas as fases terem sua importância, essa é uma das essenciais, em razão de ser o passo que fará claro os dados preenchidos e solicitados e autorizativos ao Portal, e então ao clique no botão “Declarações e Demonstrativos”;

A etapa seguinte mostra a opção “Extrato do processamento da DIRPF”, momento em que se deve escolher o ano da sua declaração. Aparecerá a opção “Extrato” e, em seguida, “situação”. Vencidos esses passos, todas as informações contidas no seu extrato estão disponíveis para você.

Quem precisa declarar o imposto de renda

Os contribuintes que tiveram rendimentos tributáveis em 2017 que somaram mais de R$ 22.847,76, o que significa ter tido um rendimento mensal acima de R$ 1.903,98.

Precisa declarar também quem teve rendimentos não tributáveis acima de R$ 40.000,00 e trabalhadores do campo com rendimento anual bruto rural acima de R$ 142.798,50.

Quem investiu algum valor em bolsa de valores, mercado de capital ou similar e proprietários de terrenos ou imóveis com valor acima de R$ 300.000,00 também estão nessa condição.

Quem não precisa declarar

O contribuinte que não se enquadrou nos requisitos apresentados acima, especialmente aqueles com renda mensal menor do que R$ 1.903,98.

Isenção

Existem grupos de pessoas que estão isentos da declaração. São os cidadãos portadores de doenças graves dispostas na Lei nº 7.713/88.

Nessa relação estão enfermidades como: AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida); Alienação Mental; Cardiopatia Grave; Cegueira; Contaminação por Radiação; Doença de Paget em estados avançados (Osteíte Deformante); Doença de Parkinson; Esclerose Múltipla; Espondiloartrose Anquilosante; Fibrose Cística (Mucoviscidose); Hanseníase; Nefropatia Grave; Hepatopatia Grave; Neoplasia Maligna; Paralisia Irreversível e Incapacitante e Tuberculose Ativa.

Prazo e multa

De acordo com comunicado o órgão federal, o prazo de entrega do IRPF 2018 finalizará em 28 de abril.

Aqueles que não acatarem as determinações impostas para a entrega da declaração do imposto de Renda 2018 conforme o ronograma apresentado pela Receita Federal terão 30 dias para pagar multa de até 20% sobre o valor devido ao fisco, sabendo que existe um valor mínimo de multa por atraso, estipulado em R$ 165,74.

Juros de mora, com base na taxa Selic é o que o contribuinte irá arcar, se não pagar nesse prazo.

Como fazer o imposto de renda

Para os que irão declarar o IRPF 2018 – imposto de Renda 2018 pela primeira vez, e também aos que possuem dúvidas sobre a declaração, não terá dificuldades, mas exige atenção.

Na verdade, aqueles que guardam e arquivam documentos pertinentes ao IR e demais comprovantes possíveis de declaração, não terão problemas.

Quando o contribuinte for se dedicar a isso, terá de baixar o programa específico disponível tão e somente no site da Receita Federal para que possa agilizar o processo pelo computador, pela internet.

Ainda que não seja difícil, se aparecer situações de dúvidas é fundamentar buscar ajuda com um especialista na área, nesse caso um contador que, tanto poderá auxiliar para o preenchimento e suporte ou assumir a prestação de serviços.

Fazendo a simulação do IRPF 2018

Antes de fazer a declaração de forma definitiva, é possível garantir, por meio de simulação, a certeza de que todos os preenchimentos foram feitos de maneira correta e assertiva.

O declarante deve ter a noção dessa ação e prestar as informações o mais corretas possíveis. Nesse sentido é que entra a simulação, modelo possível de checar os dados antes de fazer a entrega oficial garantindo o acerto no documento e conseguir, no site da Receita, todas as indicações, orientações e suporte.

Usando essa ferramenta que o Órgão disponibiliza é um meio de evitar erros que promovam dores de cabeça posterior. Ter paciência e passar por esse caminho dará mais conforto ao contribuinte

Como fazer o cálculo do Imposto de Renda 2018

Para os profissionais contadores, em 2018 devem ser seguidas as alíquotas de cálculo que devem ser seguidas conforme determinação específica. Já no caso de pessoas comuns, é preciso aprender a fazer os cálculos para poder aplicar na própria declaração di Imposto de Renda, sem erros.

Poder-se-á citar a situação de beneficiário com 65 anos de idade que tenha um dependente. Essa situação específica demanda que a base de cálculos do Imposto de Renda 2018 seja o total de vencimentos, subtraindo a contribuição previdenciária e outras deduções as quais o beneficiário tem direito – pelo número de dependentes, idade ou igual ou maior de 65 anos, pagamento de pensão alimentícia, assim como outros benefícios.

Somente depois de fazer as deduções, o valor que deu como resultado tem de feita a aplicação da alíquota que varia de acordo com a faixa de valor. Outras alíquotas devem ser consultadas no site da Receita Federal para que os números sejam checados com cuidado absoluta coerência.

Declaração do imposto de renda retido da fonte 2018

A Declaração Imposto de Renda Retido na Fonte, também chamada de DIRF, é feita pela fonte pagadora que, por sua vez irá informar à Secretaria da Receita Federal do Brasil sobre rendimentos pagos a pessoas físicas domiciliadas no Brasil; pagamento de plano de assistência à saúde, pagamento, crédito sobre renda e contribuições retidas na fonte, dos rendimentos pagos ou creditados para beneficiários. Um manual específico do Dirf está à disposição para consulta em razão de ter de ser consultado por conta de mudar ano após ano.

Falando de Restituição do IRPF 2018

Para fazer jus à restituição ao imposto de Renda 2018, é preciso que a Receita Federal faça o cômputo das informações financeiras dadas pelo contribuinte à Receita Federal e está diretamente vinculada às despesas contadas para esta finalidade como gastos aplicados em educação, saúde entre outros.

Receber de volta sobre esses gastos específicos e aceitos pelo Órgão, é um direito do contribuinte quando existe um valor excedente. Todo esse processamento e fiscalização das declarações é o Ministério da Fazenda. Esse é o tal do ‘Leão’, habitualmente chamado nesse processo todo.

Os cálculos das deduções que o contribuinte poderá contar e os descontos que terá, depende exclusivamente os cálculos que serão realizados pela Receita Federal depois que a declaração for entregue e registrada oficialmente.

Uma relação com os nomes desses contribuintes com direito à restituição é divulgada todo final de ano pela Receita Federal, a fim de que haja plena divulgação e conhecimento por parte do cidadão.

Recebendo a restituição do imposto de renda

Não é para todos que existe a restituição do Imposto de Renda. Para os que têm direito, há uma programação feita pelo governo dividido em sete lotes que irá valer a partir do segundo semestre.

O pagamento é feito na própria conta bancária do contribuinte informada na declaração. A forma mais indicada acompanhar a liberação da restituição é pelo setor de consultas no site da Receita ou pelo Receita fone número 146.

Conhecendo a Malha fina no IR 2018

Só de ouvir falar em o termo ‘Malha Fina’, arrepia qualquer declarante. O que é importante conhecer é que a medida ocorre quando erros ou preenchimentos indevidos na declaração entregue à Receita.

Assim é que aquela declaração poderá cair na Malha Fina do Imposto de Renda 2018, para que seja feita a apuração dos erros cometidos, e até se for detectada a tentativa de sonegação ou fraudes, em alguns casos.

Em havendo quaisquer uma das situações que indiquem irregularidades, algumas sanções são previstas. Multa é uma delas. Burocrático e demorado o processo de apuração e verificação é lento e complicado, motivo pelo qual é prudente tomar cuidado e ter atenção ao preencher as informações.

Como fazer a retificação no IR 2018

Depois de ter encaminhado o documento9 válido para a Receita, se em qualquer momento o contribuinte perceber que pode ter algum erro ou falha em sua declaração é necessário que, o mais rápido possível a pessoa mande uma retificação apontando certeiramente onde está ou onde estão os erros ou falhas no seu Imposto de Renda 2018.

Existe uma outra maneira de saber se deu tudo certo e se está tudo em ordem com sua declaração que é realizando uma consulta na hora da Restituição. É que todas aparecem no sistema mostrando itens pertinentes.

Nesse caso, ela aparecerá no sistema, mas com aviso de que existem pendências em sua declaração. Assim, o melhor meio de conseguir regularizar será procurar alguém especializado no assunto para lhe ajudar, por exemplo um contador, que irá lhe informar como regularizar tal situação.

Conheça mais o Felizen

O Felizen é um blog que traz dicas para enriquecer a vida dos usuários, muito além da notícia, conteúdo útil para a vida toda, a todo momento... Leia Mais